Chuvas já afetaram 62 mil baianos, deixando 12 munícios em situação de emergência

pós uma semana, as intensas chuvas que atingem a Bahia deixaram um saldo, até a noite da sexta, 02, de 355 desabrigados e 6.802 desalojados, além de ocorrências em 43 municípios. Destes, 12 decretaram situação de emergência. No total, 60.732 pessoas foram atingidas pelas precipitações. E a previsão do Instituto Nacional de meteorologia (INMET) é de que o mal tempo continue nos próximos dias.

chuvas bahia 2022

Por trás desses números, estão histórias como a do radialista Washington da Silva, conhecido como Nem, de 46 anos. Morador de Cachoeira, no Recôncavo. A chuva invadiu sua casa enquanto trabalhava. Ele conta que entrou tanta lama que foi preciso reunir vizinhos para ajudar na limpeza. “A situação é muito ruim, tem gente que perdeu absolutamente tudo. Ficou apenas com roupa do corpo, às vezes até a roupa do corpo está prejudicada porque sujou de lama. A cidade ficou arrasada, a água invadiu todo comércio, invadiu tudo. A água bate no joelho das pessoas”, relata.
Cachoeira é um dos municípios mais afetados e decretou emergência na quinta, 01, quando uma enchente causou estragos na cidade. Por volta das 11h, a água invadiu o Colégio Estadual da Cachoeira. Nenhum aluno ficou ferido, mas a escola perdeu equipamentos, como computador, caixas de papel e materiais de consumo. “Era uma lama acumulada com água, [foi tanto volume que] rompeu o muro de trás da escola e invadiu o prédio principal. Veio trazendo lixo, tudo que podia”, narra o diretor da instituição, Fábio Macedo.
Na sexta, ainda havia edificações com risco de desabamento e alertas para deslizamento. Foram 100 ocorrências registradas na cidade em três dias de chuvas intensas.
São Félix, cidade vizinha de Cachoeira, também decretou emergência, só que na sexta, 02. O prefeito Alex Brito conta que já são 28 ocorrências registradas pela Defesa Civil sendo, em sua maioria, casos de deslizamento de terra nas encostas. “A cidade é rodeada de morro, com a chuva, a água desce acabando com tudo”.
A cidade está com casas danificadas, calçamentos destruídos, deslizamento de terra, corrimãos de acesso às áreas mais íngremes danificados pela força da água e linha do trem interditada.

 

Fonte: Correio 24h