Vazado em dez jogos seguidos, São Paulo terá novas mudanças na zaga

 

Rogério Ceni tomou uma medida diferente para tentar conter os gols sofridos pelo São Paulo em jogadas de bola aérea: não vai treinar o fundamento para enfrentar o Ituano, neste sábado, às 16:00hs (de Brasília), no Morumbi. A única atividade da equipe antes do jogo pela nona rodada do Paulistão é na manhã desta sexta-feira, no CT.

O Tricolor sofreu sete dos 21 gols em bolas alçadas na área e foi vazado nas últimas dez partidas consecutivas – saiu zerado somente contra o Moto Club, em 9 de fevereiro.

Lugano deve ser titular da defesa do São Paulo contra o Ituano (Foto: Diego Simonetti)

Diante dos problemas, o técnico tricolor terá de fazer mudanças forçadas na defesa. Ele escalou Rodrigo Caio e Lugano no empate por 1 a 1 com o ABC, na última quarta-feira, em Natal. Rodrigo, no entanto, está suspenso com três amarelos e machucado – foi substituído com dores no joelho esquerdo, onde sofreu um edema no ligamento colateral medial.

Lyanco entrou no seu lugar e foi elogiado pelo treinador. Mas o zagueiro alvo do Torino, Juventus e Atlético de Madrid não está inscrito na primeira fase do Paulistão. Ele será incluído na fase de mata-mata. Maicon, em recuperação de uma entorse no tornozelo esquerdo, treinou pela primeira vez no campo na quinta-feira e não deve voltar.

Dessa maneira, Breno (fora contra o ABC por opção), Douglas (também fora diante do time potiguar) e Lucão brigam pela vaga ao lado de Lugano na defesa. Além das mudanças na dupla de zaga, Ceni promoverá troca no gol: Renan Ribeiro receberá a primeira chance como titular, no lugar de Denis, dono do posto nas duas últimas partidas. Sidão se recupera de uma lombalgia.

Apesar da preocupação com os gols sofridos, o São Paulo balançou a rede no ataque em 11 das 12 partidas de competição oficial da temporada. O Tricolor só saiu sem marcar na derrota por 3 a 0 para o Palmeiras, no último sábado. Nesse sentido, a equipe terá o reforço do "gladiador" Lucas Pratto, argentino liberado para jogar com uma máscara de proteção no nariz fraturado.

Os artilheiros do ano são Cueva e Gilberto (seis gols cada), Luiz Araújo (cinco), Cícero e Pratto (quatro cada).

Fonte: Globo Esporte