Jornalista lamenta nova polêmica no Mundial: "Péssimo cartão de visitas"

A exemplo do que aconteceu no duelo entre Atlético Nacional e Kashima, árbitro rouba a cena ao usar recurso de vídeo na partida entre Real Madrid e América-MEX

Árbitro Enrique Cáceres deixou jogo seguir e posteriormente confirmou o gol do Real (Foto: Reprodução SporTV)

Após ter estreado com muita polêmica na partida entre Atlético Nacional e Kashima Antlers, o recurso de vídeo voltou a ser utilizado no duelo entre Real Madrid e América do México, nesta quinta-feira, e também deu o que falar. O lance aconteceu nos acréscimos da segunda etapa, quando Cristiano Ronaldo abriu 2 a 0 para o Real Madrid. O assistente confirmou o gol, mas o árbitro anulou, aguardou a conferência por vídeo e posteriormente validou ao ter a certeza de que o craque estava em posição legal. A confusão foi criticada pelo jornalista Raphael Rezende (assista ao vídeo).
- É fundamental que exista (o recurso), mas o processo ainda é confuso. Os árbitros ainda estão tentando entender como funciona o procedimento. É um péssimo cartão de visitas. Não é um processo bem definido ainda - criticou o comentarista do SporTV.

O comentarista Lédio Carmona lamenta que a Fifa tenha escolhido o Mundial de Clubes para estrear o uso dos árbitros de vídeo. Ele concorda com Raphael Rezende e diz que a entidade deveria ter usado uma competição de menor expressão para fazer os testes.
- Fase de testes você usa em Mundial sub-17, sub-20, não no Mundial de Clubes. Pelo jeito isso não foi explicado nem para os árbitros - considerou.
No jogo de quarta-feira, a polêmica foi ainda maior: o Kashima abriu o placar graças a um pênalti assinalado com o uso do recurso de vídeo. O time japonês levou a vaga com vitória por 3 a 0, e o Atlético reclamou muito da decisão do árbitro, considerada uma lambança pelo comentarista de arbitragem e ex-árbitro Arnaldo Cezar Coelho. Após o episódio, a Fifa se pronunciou e defendeu a decisão ao considerá-la acertada.