Vereadores debatem sobre futuros avanços

Na sessão da última segunda-feira, 22, os edis capimgrossenses utilizaram a tribuna para cobrarem atenção para os possíveis avanços que devam acontecer nos próximos anos, com isso pedem abertura de ruas, calçamentos e o cuidado com o bem estar animal.

O Presidente da Câmara, Bruno Vitor, comentou sobre o interesse de qualquer empresário em comprar um terreno para montar um aterro sanitário ou fábrica de carvão, será preciso o alvará, “e quando a Prefeita diz que não tem participação é que não está registrado na prefeitura, existem é rumores mas que precisam da licença ambiental e alvará, precisa chegar ao conhecimento dela”, explicou.  “Houve denúncias que nesse terreno está tendo exploração de pedras e estão sendo desviadas de Capim Grosso para outro país, então o pessoal foi verificar, até então a prefeitura não tinha conhecimento da exploração desse minério da região do Mucambo, só agora vai se tomar providências”, adiantou. “Vai precisar ter uma destinação ao lixo e só se acaba o lixão com aterro sanitário”, completou. Bruno ainda ressaltou a importância da equipe do Departamento de Trânsito que vem fazendo um trabalho muito bom, um ponta pé de cinco anos para a frente e os vereadores com a mente avançada, “tivemos o PDDU e projetos na Casa, aprovado e sancionado a municipalização, mesmo com poucos recursos, está se fazendo o máximo, hoje temos vagas de idosos e as pessoas se colocando em suas vagas. Parabenizo a prefeita com humildade e o mínimo que tem, vem dando atenção na cidade”, finalizou.

 

O Vereador Jó Queiros, pediu requerimento verbal para contratação de dois médicos, um ginecologista e um pediatra. “Dra Cristina é uma pessoa que vem fazendo excelente trabalho e atendendo as demandas, mas, vai entrar de licencia e o município não pode ficar sem ginecologista e pediatra”, justificou.

 

 

 

O Vereador Nanal Vilas Boas, falou sobre a indicação 026/2018 que é de sua autoria e pede pela acessibilidade do Bairro José Mendes de Queiros ao Jardim Formosa, pois estão poucos ligados e resta trezentos metros para ter acesso, sendo que o único percurso viável chega a ser mais de três quilômetros, dentro da iniciativa existe uma rua  pouco conhecida chamada Thiago Carneiro, vedada por uma cerca e limita-se ao mato  bruto, em contato com os três proprietários, estão em comum acordo a abrir a cerca e viabilizar a passagem.  Facilita o tráfego de moradores, viaturas e ambulâncias. Importante indicação, mesmo que o município não se encontre em condições, mas que fique registrado. Continuou questionando sobre o domínio público concernente a propriedade pública dos terrenos que de fato são públicos, pediu que a gestão cercasse seus terrenos por direito, 35% de loteamentos ou terrenos subdivididos por lei e prerrogativas. “O tempo passa, mudam-se prefeitos e secretários e se esquecem que tais localidades existem e não tomam devidas atenções e quando os proprietários não acham mais o que vender, vendem o que é de direito do Poder Público Municipal”, declarou. “Falta de mapeamento e o Poder Público fica a desejar, quando alguns proprietários percebem que o município esqueceu, vendem até ruas”, continuou. O vereador reclamou que é necessário conferir o mapa, pois, quando precisar construir escola vai comprar com preços às vezes superfaturados,  existindo terrenos nos bairros São Luiz e Planaltino, Morada do Sol , divisas com José Mendes, de competência e propriedade legal, “eles não estão nem ai , quanto custa demarcar com padrões para serem identificados e tenho certeza que terceiros não invadiriam, isso prova o descaso e falta de importância da gestão com o patrimônio, é preciso se observar mais e fiscalizar mais, o que é de domínio”, disse. 

 

O Vereador Samoel Moto Taxi informou que recebeu mensagens via whatsapp, contendo reclamações no tocante as gestantes, onde nunca se houve tanta dificuldade, cada vez que sai às ruas é abordado sobre as melhorias. “Há avanços, mas, as gestantes estão sofrendo”, disse. “Por que estão ganhando nenê lá fora?”, indagou.  “Aqui para se ganhar o bebê tem que ser humilhada e colocar em risco a sua vida e a da criança, se na hora do parto tiver uma complicação não tem um cirurgião pra fazer uma cesariana, há quem diga que está bem”, definiu. Também falou que se for cirurgia de hérnia tem que pagar a tela, “estamos tão bem, que uma gestante tem que pagar consultas, porque não aguenta mais a fila e se faz um marketing que estamos bem, a saúde ainda está sendo usada pra fazer política com a miséria das pessoas, o interessante é vir na tribuna defender e tentar mudar o meu discurso, achar que o que estou falando aqui é mentira, mas as gestantes sabem que é verdade, sou tachado e criticado porque sinto na pele e tenho coragem de falar aqui, tem que pagar anestesista porque no município não tem, muita gente sabe que a saúde é precária e tem que sofrer no caladinho, está um caos, essa é uma realidade e ninguém diga que é mentira, quem rebate as minhas falas está olhando apenas para o próprio umbigo”, continuou. “São reclames de mães e gestantes na hora de ganhar os bebês e passa por essa dificuldade e tem vereador aqui que pra não ver essa situação, pega no seu próprio carro e leva pra fora”, declarou. “Quando eu falo, dizem que é porque sou oposição e gosto de criticar, é que alguém tem que sentir a dor das pessoas”, lamentou. “Para conseguir ultrassom tem que passar à noite no relento e aqui eu volto a repetir, que o vereador Antonio Martinho disse que tem cotas para vereadores e estou investigando se descobrir que isto está acontecendo ache ruim quem achar, vou citar nomes nessa tribuna, é só eu descobrir, ninguém aguenta mais todos os dias o povo nos procurar, isso não é justo, é uma cidade administrada por médicos, estão brincando com as mães ou não querem que nossas crianças tenham em seus registro o local de nascimento, Capim Grosso”, reclamou.  

 

O Vereador Antonio Martinho fez um requerimento verbal pedindo a gestão que avalie a capelinha do cemitério de Pedras Altas, que se chove não da condição de permanecer e se faz o sol também não protege, ou se reconstrói ou reforma. Pediu encaminhamento de moção de aplausos ao vereador de Jacobina, Thiago Dias, que veio da comunidade rural e se ousou colocar o nome para candidato a Deputado Estadual e teve uma votação expressiva. Informou que o Congresso derrubou o voto de Temer, garantindo o aumento salarial dos ACs, e reajuste até 1.500 reais até 2021. Manifestou indignação com relação ao suposto projeto, “quer nos enganar falando de um aterro sanitário e que na pratica é um lixão”, disse. “À comunidade ao tratar do assunto, todos ficam perplexos e terça-feira uma pequena comissão esteve no gabinete da prefeita para pedir intervenção da gestão e que o projeto não seja planejado para aquela comunidade, que requer investimento para fortalecer a agropecuária. “Eu assim que soube mantive contato com a prefeita e pedir pois a comunidade já tinha tentado sentar com a gestora que informou que só após a eleição, agendei para 10 dias depois e nos apresentamos, manifestando a insatisfação da comunidade”, relatou. “O que acontece é que técnicos do Departamento do Meio Ambiente já tiveram no suposto terreno fazendo avaliação e a comunidade já tratava desse assunto antes da eleição e a prefeita só atendia posterior e nós somos recebidos, e ela perguntou por que culpa-la se ela não sabe”, explicou. Depois assume que três empresários procurou a prefeita e o dono da empresa já identificou um terreno, onde a gente não ver a viabilidade, próximo a lagos, casa e a igrejinha construída com muita luta, a gestora esteve na comunidade apresentando seus candidatos e porque não chegou lá apresentando o projeto, a usina, e assumir que trouxe um lixão para o Lagedo, já que não tem impacto ambiental, já falei com o proprietário e o engenheiro que estão para desenvolver o projeto”, comentou. “A bovinocultura leiteira já está  na prefeitura e o investimento do Governo do Estado já está sendo propagado com ações da gestão”, concluiu.

 

 

ASCOM CMV

Deixe um comentário