Ex-sogra acusada de agredir ex-nora com surra de corda da sua versão dos fatos

Dona Zelia, ex-sogra de Tamilis, enviou uma nota a redação do FR Notícias, explicando o que ocorreu no dia da agressão e como estava sendo a relação entre ela e a genitora de sua neta. (entenda o caso)

 O texto foi enviado através de um amigo da família e está reproduzido na integra a seguir:

Quem me conhece pessoalmente sabe que não é de minha praxe ofender as pessoas. Minha relação com minha ex nora, sempre foi respeitosa! Sempre teve meu apoio, quando os meus netos nasceram dei todo suporte aos dois para que eles pudessem manter a rotina deles.

Como todo casal o relacionamento do meu filho com minha ex-nora não era diferente, tinham suas dificuldades e por meio dessas dificuldades o relacionamento desgastou e meu filho optou por cada um seguir sua vida.

Foi um momento muito complicado para toda família, mesmo assim continuei dando todo suporte necessário a minha ex-nora, durante um período aparentemente estava indo tudo bem, até meu filho recomeçar sua vida.

Minha ex-nora começou a mostrar um comportamento um tanto que estranho, quando meu filho começou a reconstruir sua vida, minha ex-nora começou a ficar um pouco agressiva. Os anos foram se passando e a situação foi ficando insustentável. Quando meu filho resolveu se casar novamente, comecei a me ver em uma situação muito complicada, até porque sempre respeitei minha ex-nora e tentei ao máximo manter uma relação saudável.

Só que não fui compreendida como mãe e comecei a ser alvo de alguns ataques junto a minha família, me vi em uma situação desconfortável, vi comentários maldosos ao meu respeito e de minha família.

Sempre fui uma mulher extremamente reservada, nunca me envolvi em problema algum.

Minha família sofria diariamente uma pressão psicológica, a situação ficou tão insustentável ao ponto da minha ex-nora e a família dela invadirem a escola em horário de expediente e assim agredir eu e minha filha, fisicamente e psicologicamente, causando assim danos psicológico, morais e financeiros. Tenho a ocorrência dessa agressão em mãos.

Toda e qualquer relação nesse momento entre eu e minha ex-nora foram extremamente cortadas. Nesse exato percebi que esse era o momento certo para seguirmos nossos caminhos!

Como falei anteriormente, nossa relação sempre foi muito respeitosa, quando meu filho colocou um ponto final na relação, ajudei ela de todas as maneiras que estava ao meu alcance, a mesma mora em uma casa minha que deixei ela morar lá em um determinado período sem exigir que ela pagasse aluguel, porém no momento que a integridade da minha família estava em jogo, decidirmos comunicar a ela que o melhor a se fazer era ela procurar outro lugar para dá continuidade à sua vida. (A qual está casa se encontra na justiça).

Só que a tortura psicológica ficou mais intensa depois que ela soube de nossa decisão final.

Para finalizar queria poder relatar o que realmente aconteceu na última sexta feira, minha ex- nora e meu filho tem guarda compartilhada, na última sexta, dia 5 /11, era o dia da minha ex nora ficar com a filha, porém no mesmo dia ela apresentou um quadro febril, então meu filho ligou para ela perguntando se tinha algum problema em minha neta fica apenas na sexta feira para tomar o medicamento.

Porém ela não aceitou, chegou em minha casa insultando meu filho de todas as maneiras possíveis, batendo no meu portão, tentei apaziguar até por conta que minha filha tinha acabado de passar por um parto de cesariana, estava precisando descansar por conta do resguardo, porém sem sucesso, fui insultada de todas as maneiras possíveis, desrespeitada! Me vi em uma situação complicada por conta de tudo que aconteceu e estava acontecendo. Ligamos para a polícia sem êxito.

Por um momento de impulso, tentando impedir que algo pior pudesse acontecer, agir de uma forma que nunca agir antes. Momentos depois a polícia chega a minha casa, procura pela criança (meu esposo levou a minha neta até o portão) perguntaram se ela queria ir com a mãe a mesma respondeu que não, ficando assim para o outro dia, como meu filho tinha solicitado. Sei que nada justifica a minha atitude. Em nenhum momento a menina foi impedida de ir com a mãe. Só pedimos para ir no dia seguinte por que a mesma trabalha e não teria como cuidar da criança doente.

Acreditem que sempre tentei resolver de todas as maneiras possíveis essa situação, sofri calada por muitos anos e me vejo no meio de um furacão, peço humildemente aqueles (as) que se sentiram ofendidos que me perdoem de coração.

Também venho agradecer aqui a todo carinho diante de tudo que vem acontecendo dos meus familiares, vizinhos e amigos!

Quero deixar bem claro que em momento nenhum minha neta presenciou o corrido.  Sua integridade foi preservada a todo momento.

Quero aqui também agradecer aos familiares dos nossos alunos, como tenho demonstrado com tudo diante do   ocorrido que venho passando, em nenhum momento misturei a minha vida pessoal com o profissional, tenho mantido os cuidados e bons relacionamentos e profissionalismo, com todos que assim confia e acredita   na minha capacidade de exercera-la.

Fonte: Redação Fr Notícias