II Conferência Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional é realizada em Capim Grosso

Nesta quinta-feira, 13, aconteceu a 2ª Conferência Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, do Município de Capim Grosso, com o tema A Fome Voltou, objetivando o debate de proposições sobre Políticas Públicas de Segurança Alimentar e Nutricional.

Os sub temas foram o eixo 1, Sistemas Agroalimentares, desenvolvimento e seus dilemas. Eixo 2, Política Estadual de SAN e programas: conquistas e desafios. Eixo 3, A SAN nos municípios: experiências bem sucedidas.

A Professora Iracema Lima comentou sobre aproveitar o espaço de discussão que ainda existe em relação ao assunto, pois segurança alimentar é um papel educativo.

A Prefeita Lydia Pinheiro esteve na conferência e reforçou a necessidade de medidas contra a fome. Falou ainda sobre os cortes que foram feitos nos últimos governos federais.

Presente no evento o Secretário de Agricultura, Ricardo Sousa, afirmou que pessoas estão passando fome. “Hoje a gente volta a discutir que comer e beber bem é um direito de todo cidadão brasileiro”, disse.

A Secretária de Assistência Social, Hosana Ferreira, informou que esteve com o Secretário de Justiça e Direitos Humanos da Bahia, debatendo sobre a perda do PA Alimentos dos municípios.

O Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais foi representado por Antonio de Brás, que comentou sobre a necessidade dos representantes e autoridades debaterem e poderem sair mais preparados e com maior responsabilidade com o povo.

Edvagno Matos, representante dos Movimentos Sociais e Presidente do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutrição (COMSEA), garantiu que a questão de alimentação é um dilema para o mundo e que existe um desafio para que as organizações resolvam o problema. “A grande concentração de terras nas mãos de poucos e a produção de produtos com base no agrotóxico é um dos causadores da fome no Brasil e no mundo”. Indicou como solução, produzir em grande escala, com alimentação saudável para abastecer o povo brasileiro.

A Nutricionista da Saúde Municipal, Cleida Prates, discerniu sobre o tema Segurança Alimentar e Nutricional, com o histórico dos surgimentos dos conselhos. Informou que o conselho municipal existe para fazer cumprir o direito ao acesso regular de alimentos de qualidade com suficiência e adequação. Lembrou ainda que entre os anos de 2013 e 2104 o Brasil deixava o mapa da fome, tendo retornado a esta posição segundo a ONU, no ano de 2017. De cinco milhões de pessoas na extrema pobreza, chegando ao índice de 11 milhões.

Também estiveram presentes representantes de vários segmentos, populares, imprensa, a Secretária de Saúde, Aitan Guimarães e a Nutricionista Raiane Moreira que colaboraram e apoiaram para o andamento do evento.

 

 

ASCOM PMCG