Governo Federal suspende recursos para Vigilância em Saúde de Capim Grosso e mais 8 cidades baianas

Capim Grosso e mais oito municípios baianos terão suspensos repasses para a área de vigilância em saúde já no próximo mês. A informação foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 23. Os repasses são destinados a ações de vigilância, prevenção e controle de doenças, como dengue, zika e chikungunya.

Segundo a portaria do Ministério da Saúde estão na lista as cidades de Capim Grosso, Catu, Itaberaba, Jeremoabo, Luís Eduardo Magalhães, Rio Real, São Sebastião do Passé, Serra do Ramalho e Simões Filho.

A alegação para suspender os recursos foi de que as prefeituras não atualizaram os sistemas de informação para Agravos de Notificação (Sinan), para Nascidos Vivos (Sinasc) e para Mortalidade (SIM). Um monitoramento feito neste mês teria constatado as irregularidades. As áreas com os repasses suspensos são: Piso Fixo de Vigilância em Saúde (PFVS) e Piso Variável de Vigilância em Saúde (PVVS).

A suspensão também atinge cidades de vários estados, como Alagoas, Amazonas, Ceará, Maranhão, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco, Piauí, São Paulo e Rio de Janeiro.

Em nota a Prefeitura Municipal de Capim Grosso, por meio da Secretaria de Saúde, esclarece o fato. Veja a nota na integra:

A secretaria de saúde vem à público esclarecer sobre a suspensão dos repasses feitos pelo governo federal, que são destinados a ações de vigilância, prevenção e controle de doenças, como dengue, zika e chikungunya.

Em contado com o Ministério da Saúde, foi nos informado que poderia ter ocorrido um extraviamento de lotes com os dados de informações desses sistemas, onde, nos foi solicitado o reenvio dos mesmo, o Ministério da Saúde informou também, que na próxima reavaliação mensal irá repassar o retroativo ao município caso não ocorra o repasse neste mês, de maneira que esse município não seja penalizado.

 

 

FR Notícias com informações Bahia Notícias