Bahia: Menino de 12 anos é baleado na escola e familiares acusam a PM

Um adolescente de 12 anos foi baleado dentro da Escola Municipal João Pedro dos Santos, localizada na Avenida Bonocô, em Salvador, na noite da última terça-feira, 11. O menino, identificado pelas iniciais I.S.R., estava na quadra da instituição quando foi atingido na região das nádegas e na perna.

De acordo com informações da 58ª Companhia Independente de Polícia Militar (58ª CIPM), o caso ocorreu por volta das 20:10hs. Ele foi levado para o Hospital Geral do Estado (HGE), entretanto não há informações sobre o estado de saúde dele. A escola municipal funciona no prédio junto com o colégio estadual, que leva o mesmo nome.

Ainda segundo a 58ª CIPM, o adolescente foi atingido durante uma troca de tiros entre facções rivais que disputam o tráfico de drogas na região. Nenhum dos bandidos foi preso. A família da vítima, no entanto, acusa os policiais militares pelos disparos.

"Eles [policiais] dizem que foi facção, mas não é verdade. O problema é que ninguém acredita. Quando fala que foi a polícia, defendem a polícia", disse a tia da vítima, que prefere não ser identificada por medo de represálias. Ela é a responsável pelo menino, que é órfão de pai e mãe desde pequeno.

Uma jovem, que é prima da vítima e também preferiu não ser identificada, disse que não é a primeira vez que os policiais atiram dentro da escola.

"Eles já têm esse mau costume de chegar atirando aqui. É a terceira vez que eles entram nessa escola assim. Ontem [terça, 11] aconteceu da mesma forma de sempre. Foi por volta de 19:30hs. O menino estava na escola, na capoeira. Largaram a viatura aqui na frente e entraram correndo, abrindo fogo. O tiro atingiu o bumbum e a perna de meu primo", narrou a jovem.

As mulheres relatam ainda, que os policiais bateram no menino, que já estava baleado, e o ameaçaram para que não contasse o ocorrido.

"Depois de balear meu primo, eles pegaram o menino e ainda bateram. Depois disseram que não era para ele falar que foi a polícia. Mandaram ele dizer que foi uma facção de Brotas", denunciou a prima do adolescente.

Segundo familiares, o garoto é estudante da escola onde foi baleado. Ele é aluno do turno da manhã e, no momento em que levou o tiro, estava na quadra da instituição participando de uma atividade de capoeira.

O adolescente é órfão de pai e mãe, e mora com uma tia. Segundo a família, o estado de saúde dele é estável e ele está falando normalmente. Ainda de acordo com familiares, o projétil ainda está alojado e não há previsão de quando será retirado.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) informou que o caso está sendo apurado pela 6° Delegacia Territorial de Brotas (DT/Brotas), com motivação preliminar de relação com a disputa pelo tráfico de drogas no bairro.

 

 

Fonte: G1 BA

Deixe um comentário