Cego matou a mulher grávida em Feira de Santana enquanto ela dormia

A dona de casa Risoleta Araújo Alencar, 30 anos, foi morta pelo marido, o deficiente visual Teódulo Ferreira dos Santos, 34 anos, enquanto dormia, segundo a polícia. O crime aconteceu na manhã de quinta-feira, 20, no bairro de Santo Antônio dos Prazeres, em Feira de Santana, no Centro-Norte do estado. Ela estava grávida de seis meses.

Teódulo, que era aposentado, foi preso ainda na quinta-feira. De acordo com o delegado Gustavo Coutinho, titular da Delegacia de Homicídios da cidade, deve responder por feminicídio, aborto e sequestro – ele ainda tentou fugir levando a filha de Risoleta, fruto de um relacionamento anterior. Teódulo foi encaminhado para audiência de custódia na manhã desta sexta-feira, 21. 

Na versão de Teódulo, por volta de 05:00hs, o casal brigou e ele percebeu que a mulher estava com uma faca nas mãos, com intenção de matá-lo. No entanto, ele teria conseguido dominá-la. Tomou a faca e, em seguida, deu um golpe no pescoço de Risoleta, que morreu no local.

Porém, o levantamento cadavérico realizado pela polícia indica outra coisa: a vítima estava dormindo, em sua cama. “A perícia constatou isso e, inclusive, ela não tinha nenhum sinal de defesa. Ela estava dormindo, ele foi na cozinha, pegou a faca, voltou, cravou no pescoço dela. Ela estava quase degolada. Se fosse briga, ela teria pelo menos tentado colocar a mão na frente. Ou seja, tudo indica que não teve discussão”, explica o delegado. 

Ainda segundo Coutinho, Teódulo cometeu o crime porque acreditava que o bebê que Risoleta estava esperando não era dele. Quando os dois começaram a se relacionar, há cerca de dois anos, a dona de casa estava grávida de três meses.

Ela teria dito que a criança era filha do deficiente visual, mas, quando o bebê nasceu, o homem teria sido alertado por conhecidos sobre a falta de semelhança. “Depois, ela confessou que a criança era filha de outra pessoa. Dessa vez, ela ficou grávida de novo e ele começou a desconfiar”.

Após matar a companheira, Teódulo tentou fugir levando a filha dela. Chegou a pegar um transporte alternativo que seguiria para Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). “Só que os passageiros desconfiaram, porque a criança é loirinha, branquinha, e ele não é. Acharam que ele estava mesmo sequestrando. Por isso, o motorista, em vez de ir para Camaçari, foi para o Conselho Tutelar saber de quem era a criança. Lá, no Conselho, começaram a apertar e ele acabou confessando que tinha acabado de matar a companheira”.

Quando a polícia chegou à casa, confirmou o crime e Teódulo foi preso em flagrante. Segundo o delegado, a deficiência visual dele não compromete 100% da visão. “Ele consegue ver borrões, manchas”, explicou.

 

 

Fonte: Correio